seteDesejo do Autor

livro01"A megameta do Autor e da Editora do Manual Salve-se Quem Souber é que no final deste ano cerca de 50 milhões de indivíduos tenham ouvido falar do seu tremendo potencial; que cerca de 25 milhões tenham acesso ao inteiro conteúdo de suas 7 Revelações."

Cleptocracia: Decifra-me ou te Empobrecerei!
Finalmente, é possível vencer a guerra contra a rataria oficial.
Este artigo é um veneno mortal para eles

 

Sonhar grande é necessário como ponto de partida.
Mas, nada acontece sem agirmos.

 

     Nota importante: esse texto traz apenas informações básicas. Estude! Pesquise e se aprofunde mais no assunto! Não acredite cegamente em nada que está escrito neste artigo e ao mesmo tempo esteja aberto à investigação e experimentação pessoal!

      Teste: Este texto pode ser a prova de fogo para a sua condição de livre-pensador. Senão, vejamos: você consegue ler essas linhas mantendo a condição de “mente aberta”, sem se escandalizar e até se permitindo refletir e ponderar a respeito? Tal postura revela um nível superior de maturidade e discernimento.

     Para você leitor/leitora, encare essa informação como um antídoto, um guia de autodefesa (ou de sobrevivência) nessa era do Salve-se Quem Souber, em um país de inesgotável riqueza natural que está sendo rapidamente transformado numa Índia Latinoamericana por políticos e servidores públicos pilantras e vigaristas, indignos dos cargos assumidos.

     Cabe aqui relembrar aos jovens omissos a advertência de Platão, filósofo grego: deixe tudo como está para ver como é que fica, e após alguns anos você verá que ficou bem pior para você e sua família e para todos os brasileiros que, como você, orgulhosamente estufaram o peito e bradavam “eu odeio a política!”. Sua omissão resulta que serão aqueles que “amam a politicagem” que decidirão o destino de sua cidade, seu estado e seu país. Decidirão SEU destino e de sua família!!

     Lembrem-se caros leitores/leitoras, o verdadeiro sucesso em qualquer atividade — seja como empregado, patrão ou empreendedor — nesta era em que a corrupção e a desonestidade estão estabelecidas e arraigadas no país, é uma questão de Salve-se Quem Souber!

     No artigo intitulado “Brasil: Democracia ou Cleptocracia?” (disponibilizado no site  https://www.salvesequemsouber.com.br), tentamos fazer juízos fundamentados, declarações sinceras, esclarecimentos precisos, perguntas respeitosas. Esforçamos-nos para fazer afirmações verdadeiras, baseadas em fatos frequentemente denunciados publicamente ao longo dos anos pela Grande Mídia, pela Receita e Policia Federal, pelo Ministério Público e por autoridades influentes, como a recente acusação (18/09/15) do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, e vice-presidente do TSE:

Estamos nesse caos por conta de um método de governança corrupta.

Temos hoje no Brasil como método de governança um modelo CLEPTOCRATA”. 

     Contudo, captar um fenômeno social de graves consequências como a CLEPTOCRACIA, imparcialmente, emancipado da camada densa de preconceitos que nos rodeiam é algo muito difícil. Os preconceitos obscurecem a visão objetiva dos fatos.

     Por outro lado, quando estala uma situação de tamanha crise social como a que atualmente vive nosso país, 2 únicas opções se oferecem: a () é uma REFORMA POLÍTICA RADICAL (por uma Comissão Independente, pois o Congresso atual, um verdadeiro “covil de ladrões”, não a fará) ou a () opção é uma REVOLUÇÃO, ou seja, os meios pacíficos ou os meios violentos.

     A revolução se move pelo caminho da força e do terror, sempre transitando pela esfera do imprevisível. É um movimento de revolta, mais ou menos violento, contra o poder estabelecido que visa promover fundamentais mudanças sociais, assim como mudanças profundas nas instituições políticas e econômicas. É uma transformação que requer mobilização do povo esclarecido e insatisfeito com o status quo.

    Este não é o caso do Brasil, se considerarmos que a média de escolaridade do brasileiro neste ano de 2015 anda na casa dos 7,2 anos (igual a Zimbábue). A alienação política da nação brasileira, sobretudo no campo das políticas públicas, é perturbadora da razão, continua sendo um dos melhores paraísos do planeta para a manipulação política, ideológica e midiática.

    A “revolução de 64” (entre aspas) que ocorreu no período da Guerra Fria foi um golpe civil-militar (assim como a malévola ditadura que se seguiu) influenciado, financiado e treinado pelo imperialismo americano, sob a alegação que o presidente da república pretendida dirigir o país rumo a uma ditadura comunista. Não houve o mínimo esforço para transformar as instituições corruptas e ineficientes.

   Segundo vários historiadores, houve apoio ao golpe de 64 por parte de segmentos importantes da sociedade: os grandes banqueiros, proprietários rurais e industriais da seca nordestina, a burguesia industrial paulista egrande parte da classe abastada do país, uma elite minoritária gananciosa, inescrupulosa e egoísta (os donos do poder econômico, financeiro e político) que fazia parte da “democracia mafiosa” ou governo do dinheiro.

    Após a ditadura, essa elite de traidores da Pátria sorrateiramente transmudou nosso maravilhoso país em uma CLEPTOCRACIA — onde o dinheiro (dos poderosos) desvirtua e manobra (com a ajuda de fortes setores midiáticos) a vontade do povo. Muitos desses cleptocratas hipócritas e aproveitadores se tornaram bilionários e donos de influentes meios de comunicação (Rádio, TV, Jornal e Revista) e donatários de estados como o Maranhão, Bahia, Alagoas entre outros.

    No Brasil, o imperativo de progresso e sobrevivência digna NÃO É OUTRO GOLPE MILITAR, e sim uma REFORMA POLÍTICA RADICAL, uma “revolução em miniatura” que atinja as raízes e corrija as distorções da nossa estrutura tributária e do sistema político-econômico; que reduza drasticamente a impunidade e a corrupção e distribua mais justiça entre as classes ressentidas e carentes, a quem pertence 80% da população.

    Precisamos de uma REFORMA TRIBUTÁRIA que possa produzir um efeito progressivo de tal maneira que aqueles que ganham menos tenham tributação menor do que os que ganham mais. Sem tal reforma continuaremos reproduzindo os mesmos erros do passado — como um sistema de coleta de impostos que onera, proporcionalmente, mais os pobres do que os ricos.

   Contudo, um falso reformismo que tente remendar sintomas sem atingir as verdadeiras causas, se constituirá no mais perigoso combustível de explosão revolucionária. Ao invés de tolher a revolução, a propaga e facilita, multiplicando as fontes de descontentamento social. Abate também por inteiro, o pouco de confiança que ainda existe dos governados nas nossas lideranças enfraquecidas e desmoralizadas.

   O ponto central da verdadeira reforma política é eliminar a raiz de todos os escândalos de corrupção no Brasil: o financiamento privado das campanhas — para evitar que políticos dependam do poder financeiro de grandes empresas para se eleger. As doações privadas desequilibram as chances dos candidatos, favorecendo aqueles que conseguem mais contribuições empresariais. É de rigor, pois, concluir, que a influência do poder econômico transforma o processo eleitoral em jogo político de cartas marcadas.

   O financiamento de empresas é sempre vinculado a favores e vantagens oficial. Ao se fechar a torneira da roubalheira e do desperdiço do dinheiro público podemos então partir para a próxima etapa que é investir efetivamente na educação escolar de qualidade das nossas crianças e dos nossos jovens.

SALVE-SE QUEM SOUBER!

A pessoa é soberana a tudo que sabe, mas é escrava de tudo que ignora.
Eis a razão pela qual tudo na Escola da Vida é uma questão de Salve-Se Quem Souber!

   Enquanto isso, a história do Brasil continua, aqui e agora, e nós a vivemos. Tudo o que foi escrito neste artigo tem um objetivo principal: contribuir para a compreensão da nossa realidade neste início do século 21 — a realidade de um Paraíso Tropical que lentamente está se transformando num Inferno latinoamericano.   

  Spinoza, filósofo holandês estava corretíssimo quando pregava que a libertação consiste em conhecer os cordéis que nos manipulam. Não temos nenhum poder sobre aquilo que ignoramos.

  Somos membros de uma nação cuja população durante todo o século 20 quase que dobrou a cada 30 anos e no meado da segunda década do novo milênio (2015) alcançou uma população de aproximadamente 205 milhões de pessoas. Entre esses, milhões de conterrâneos estão excluídos do gozo dos direitos sociais como direito à educação e à saúde de boa qualidade que a Constituição garante aos cidadãos.

  Muitos e muitos outros brasileiros, cerca de 20 milhões (10% da população) são miseráveis, isto é, não dispõem de dinheiro sequer para adquirir uma quantidade mínima de alimentos e outras coisas essenciais à mera sobrevivência.

  Esses nossos compatriotas miseráveis em geral não têm moradia fixa, vagam pelas ruas ou se fixam em lugares como lixões e outros depósitos de miseráveis e por isso estão fora do alcance dos programas de assistência que presumem a existência de endereço fixo.

  Como é possível tal tragédia para quem vive numa terra maravilhosa em que se plantando tudo dá, como escreveu Pero Vaz de Caminha ao chegar ao Brasil em 1500 juntamente com Cabral? Você concorda leitor/leitora que Pero Vaz de Caminha esqueceu-se de escrever que tudo dá, mas não para todos?

   Atualmente um gigantesco abismo separa a minoria extremamente rica e essa grande massa abandonada pelo poder público cada vez mais pobre e/ou miserável, cada vez mais faminta e impaciente, cujo crescente descontentamento está prestes a se tornar o combustível de uma sangrenta revolta que se espalhará pelas periferias das grandes cidades do Brasil.

Podemos assim afirmar com convicção que estamos vivendo um momento especialmente
crítico de nossa história. Nunca o problema social foi tão grave no Brasil. Estamos nos
aproximando rapidamente da rabeira do mundo!

   Afirmo isto com conhecimento de causa porque domino o assunto após viver intensamente por quase 30 anos no país do Primeiro Mundo (socialmente decadente, diga-se de passagem) mais admirado, bajulado e copiado pelos meus compatriotas e pelo resto da humanidade (exceto os países onde existe a social democracia): os EUA, o país das grandes oportunidades de empreendedorismo, a pátria do capitalismo selvagem.

   Lá também existe corrupção, mas não tem impunidade. Lá, os ladrões do bem público vão direto para a prisão onde permanecem por vários anos, após terem seus bens confiscados. É também dos EUA que nos é transmitido este valioso e sábio ensinamento:

O que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos
desonestos, dos sem caráter, dos sem ética. O que mais preocupa é  o silêncio dos bons.
(Martin Luther King, ativista norte-americano).

    Assim, se pretendemos trilhar o caminho da esperança que conduz ao bem estar de todos os brasileiros, de todas as raças, idades e classe social, se pretendemos realmente transformar o país caótico que temos no Brasil que queremos, devemos combater sem dó nem piedade a CLEPTOCRACIA instalada no nosso país, exigindo o mesmo tratamento para corruptos e corruptores: PUNIÇÃO SEVERA!

   Este é o papel intransferível dos Empreendedores Sociais e da Geração Muda Brasil! Só haverá paz e justiça social no Brasil quando aqueles que não forem injustiçados se sentirem tão indignados quanto aqueles que o forem.

   A erradicação da CLEPTOCRACIA exigirá a participação ativa dos eleitores e dos Empreendedores Sociais, mas também dos movimentos sociais que combatem a corrupção e, sobretudo das numerosas ONGs que se dedicam a amparar suas vítimas — as crianças abandonadas, os jovens em conflito com a lei, dependentes químicos, moradores de rua, internados em manicômios, em prisões etc., etc..

   Amparar os excluídos é fundamental, mas combater implacavelmente os cleptocratas causadores da exclusão, que roubam os recursos públicos é essencial. Fundamental é chegar ao essencial, isto é, NUNCA PERMITIR A CANDIDATURA, muito menos a eleição de indivíduos que não sejam rigorosamente FICHA-LIMPA na vida pessoal e profissional.

     A análise da idoneidade do candidato antes de se filiar a um partido político deve ser uma das primeiras informações averiguadas, como justificou um ministro do STF:

A corrupção é o cupim da República, nossa tradição é péssima em matéria de respeito
ao erário. (...) O direito que tem o eleitor de escolher candidatos de vida biográfica isenta
de um passivo penal avultado é direito fundamental.
A trajetória de vida do candidato político não pode estar imersa
em ambiência de nebulosidade no plano ético.”

   E a melhor arma nessa luta é a educação escolar de qualidade que deve ser prioridade acima de todas as outras prioridades. É na educação escolar de qualidade para nossas crianças e adolescentes que assenta o grande segredo da libertação do Brasil.

Educai as crianças e não será preciso castigar os homens”.

    Profetizou 2500 anos atrás, Pitágoras, filósofo e matemático grego. Fazer “ouvidos de mercador” (quem fala e critica muito, mas nada faz) sobre esse tema é muito pior que omissão ou estupidez (se entendemos por estupidez o contrário da razão e não da inteligência). É crime de lesa-pátria. O mundo globalizado não faz concessões. Urge fazer a cidadania e o amor à pátria se tornarem uma realidade no Brasil. É agora ou nunca

 

CONCLUSÃO

Para não sermos parte dos problemas sociais não basta não participar deles;
é preciso também atuar no sentido de confrontá-los, questioná-los, dificultá-los, e para 
tanto devemos dirigir nossas energias e talentos em solucioná-los.

    Provavelmente, você leitor/leitora se interessou por este artigo em busca de esclarecimentos sobre as verdadeiras causas dos grandes problemas que afligem nosso maravilhoso país. Ao concluir sua leitura, você demonstra que faz parte do grupo seleto de brasileiros ávidos por inteirar-se dos fundamentos da ação política relativa a uma sociedade gravemente vulnerada por crises e abalos de todos os tipos.

    Este artigo, juntamente com o “BRASIL: DEMOCRACIA OU CLEPTOCRACIA?”, como os entendemos, é preparação teórica indispensável à decifração da realidade política do Brasil no início do século 21. Foram escritos, em especial, para Empreendedores Sociais em busca do verdadeiro sucesso, que têm senso crítico apurado e “sempre questionam” os acontecimentos que os rodeiam.

    Eis 10 afirmações intrigantes que exigem sua reflexão madura nos próximos sete dias. Elas lhes ajudarão no seguinte autodescobrimento:

Afinal, sou parte da solução ou parte dos problemas do meu país?

    Lembre-se que o ato de refletir deve ser sucedido pela experiência do viver-agir. Somente assim adquirimos autoconhecimento, sabedoria e coragem para agir no sentido de participar dessa batalha para transformar o país caótico que temos no Brasil que queremos:

1 – Não existe corrupção política sem haver corrupção social, ou seja, primeiro a sociedade se corrompe para posteriormente corromper o Estado. O Congresso, na verdade, um “covil de ladrões” com seus membros todos eleitos pelo voto popular, é um triste espelho da Nação e de seu povo.

2 – A corrupção social é antes de tudo pessoalÉ muito comum as pessoas não enxergarem o desvio privado como corrupção, só levam em conta a corrupção no ambiente público. Enquanto houver uma pessoa que topa subornar ou ser subornada, todos perderão. Se o atalho fosse o ideal, a estrada não seria necessária.

3 – Transportai um punhado de terra todos os dias e fareis uma montanha. Boa parte da população de eleitores do Brasil é constituída de pessoas que praticam “pequenos atos desonestos” diariamente com o intuito de tirar vantagem pessoalUm dia você cola na prova, no outro fura a fila, aceita troco errado, falsifica a carteirinha de estudante, estaciona em vaga de deficiente, depois vem a compra de produtos falsificados, o roubo de TV a cabo, o furto nas lojas, o suborno da autoridade para adquirir vantagens, apresentação de atestado médico falso, a sonegação de impostos, a lavagem de dinheiro e assim por diante. Isso é chamado de autocorrupção ou corrupção pessoal. É fraude contra si mesmo. É desvio de caráter.

 

4 – Quem não evita as pequenas faltas, pouco a pouco cai nas grandes. A esperteza negativa evolui para o furto de pequenas consequências, para o suborno da autoridade que resulta em danos para a sociedade. É assim que surge o animal covarde que não assume suas responsabilidades e que todos nós abominamos: o político brasileiro, que quando não mente, inventa a verdade.

5 – Todo povo tem o governo que merece. Um povo de cordeiros sempre terá um governo de lobos. A CLEPTOCRACIA só se estabelece e se mantém com a atitude tolerante dos eleitores que frequentemente praticam AUTOCORRUPÇÃO, isto é, fraude contra si mesmo (algo assim: “Roubei porque fui roubado” ou “Todos agem assim, porque devo agir diferente?”).

6 – A corrupção é um crime biunívoco no sentido matemático do termo pelo fato de que para cada corrupto existente no domínio governamental existe um corruptor no contradomínio privado.

7 – Tolerar as pessoas más (as corruptas, corruptoras, irresponsáveis, desonestas, egoístas etc.) é tornar-se parceiro delas, pelo menos por omissão, por abandono, e isso já é um tipo de colaboração com os ladrões do dinheiro público.

8 – O que faz a grandeza de um país ordeiro e progressista é que os homens de bem têm tanta audácia quanto os canalhas e cretinos desonestos

9 – O que não quereis que as pessoas vos façam, não fazei-lho também vós a elas.

10 – A nossa derrocada como sociedade ou eliminação da CLEPTOCRACIA é uma questão de Salve-se Quem Souber!

   Você leitor/leitora está pronto/pronta agora para dar veneno na rataria oficial? Então feche os olhos, bata os calcanhares três vezes um contra o outro e concentre sua atenção como um raio lazer no seguinte pensamento:

Não existe nenhum outro lugar no mundo como o nosso Paraíso Tropical. Não existe
mesmo! Não posso permitir que um punhado de ratos de esgoto, travestido de humanos,
continue transformando nosso lar no Inferno Latinoamericano.

Vale a pena participar dessa batalha!

   MENSAGEM FINAL: Esse texto faz parte da contribuição de Dan Herman em prol do esclarecimento da Geração Muda Brasil. Aprovamos e publicamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões de modo construtivo. Se você gostou desse artigo indique-o para outros de sua estima. Cadastre-se no nosso site e receba informação privilegiada de grande valor. Encontre-me no Facebook:  https://www.facebook.com/danherman 


   Dan Herman, o inconfundível e autor do revolucionário Manual Salve-se Quem Souber é estudante e praticante da seguinte doutrina:

Se vemos coisas erradas ou injustas, as quais temos o poder de evitar e nada fazemos, nós somos
coniventes. Não há paz sem justiça social. Nunca houve e nunca haverá.

A única coisa que é necessário para os maus trinfarem é que os bons nada façam.

   As lições do MSQS cobrem a área pessoal como profissional e são simples o suficiente para qualquer um de nós escolarizado compreendê-lo e ser capaz de enriquecer nossas vidas ao mesmo tempo. Para mais detalhes acesse agora www.salvesequemsouber.com.br