seteDesejo do Autor

livro01"A megameta do Autor e da Editora do Manual Salve-se Quem Souber é que no final deste ano cerca de 50 milhões de indivíduos tenham ouvido falar do seu tremendo potencial; que cerca de 25 milhões tenham acesso ao inteiro conteúdo de suas 7 Revelações."

 

A EVOLUÇÃO DA CONSCIÊNCIA EXIGE AÇÃO E AUTOSSUPERAÇÃO 

A mudança é o processo no qual o futuro invade nossas vidas;
        é um processo natural se alguém quer aprender e evoluir. 

 

  Nota importante: esse texto traz apenas informações básicas. Estude! Pesquise e se aprofunde mais no assunto! Não acredite cegamente em nada que está escrito neste artigo e ao mesmo tempo esteja aberto à investigação e experimentação pessoal!

 

  Nota esclarecedora: para evitar confusões, é importante esclarecer o sentido em que os dois termos mencionados no título são entendidos neste artigo, que não é o mesmo que consta na maior parte da literatura sobre o assunto: EVOLUÇÃO e CONSCIÊNCIA. Este trabalho também chama a atenção para dois equívocos passiveis de ocorrer na mente do leitor.  

  A evolução das espécies e a evolução da consciência são verdades relativas de ponta, mas têm significados e implicações completamente distintas. Ambas consideram não haver seres privilegiados ou criados já superiores aos outros. A primeira se refere à evolução biológica (ou genética) das espécies que foi legitimada com a publicação de “A Origem das Espécies” porCharles Darwin em 1859. Esta evolução analisa a mudança das características hereditárias de uma população de seres vivos, que mudam com o passar do tempo. 

  A segunda se refere à evolução do princípio inteligente ou da individualidade permanente (entendida por muitos como espírito, alma, eu superior), que a Conscienciologia denomina de CONSCIÊNCIA, que não tem o mesmo significado daquele usado pela Psiquiatria, Neuropsicologia e Psicologia Evolutiva ou Evolucionista (que tem suas raízes na biologia). A CONSCIÊNCIA sou eu, é você e todos os seres autoconscientes do Universo, fora da vida corporal.  

  A consciência é a nossa realidade maior, mais do que a energia e a matéria. Não é o corpo físico nem um subproduto do cérebro humano. Na realidade, podemos nos manifestar além do corpo humano e, portanto, do cérebro. Esse fato pode ser verificado através das experiências de quase morte (EQM) e experiências fora do corpo (EFC), também conhecida como projeção da consciência (PC), ambos fenômenos  parapsíquicos amplamente estudados e investigados pela Projeciologia, uma subespecialidade da Conscienciologia, a neociência que estuda a consciência “inteira”, considerando todos os seus corpos de manifestação, dimensões e existências, em um enfoque integrado. 

 Atenção: para entender de fato por que a Conscienciologia é uma neociência revolucionária e autolibertadora, leia atentamente o artigo sobre a Conscienciologia, disponibilizado em Tópicos Recentes do site www.salvesequemsouber.com.br  

  A consciência possui a capacidade de evoluir, amadurecer, ou de tornar-se e fazer-se cada vez mais capaz, adaptada, complexa, sofisticada, hábil e poderosa. A evolução da consciência (ou evolução consciencial) é, portanto, muito mais complexa do que a evolução biológica do corpo humano. Ela significa simultaneamente: 

 

1.     A qualificação pessoal do ponto de vista dos talentos, virtudes e capacidades (traços forças), visando a ampliação das qualidades pessoais e morais da pessoa.

2.     A amplificação ou melhora gradual na saúde da consciência.

3.    A autossuperação (vencer a si mesmo, dominar as próprias imperfeições) das deficiências inerentes ao estágio anterior, a fim de atingir novo patamar evolutivo mais avançado.  

 

  Entender de fato o significado da expressão “Evolução da Consciência” — o tema mais prioritário da experiência humana — é saber responder uma das mais importantes questões da vida humana: O que faz você nesta existência, no Planeta Terra? 

  A evolução consciencial é um processo natural a TODAS as consciências do universo. A decisão de como será feita essa trajetória evolutiva depende da maturidade e do livre arbítrio de cada consciência. Essa afirmação expressa uma realidade indiscutível: a evolução consciencial é inevitável, pois o seu objetivo magno é a libertação através do autoconhecimento e do conhecimento das verdades relativas de ponta.  

  Ela e a morte do corpo físico são os únicos determinismos existentes. No caso, não se cogita aí da eficiência ou do tempo gasto nessa mesma evolução. Afinal, a consciência evolui errando e acertando, em eterno revezamento de posições construtivas e autoderrotas em sua acumulação de vivências e experiências. A postura “da vivência e experiência” é decisiva e insubstituível na Escola da Vida. 

   Evoluir, portanto, no contexto deste artigo, é ultrapassar limites, superar desempenhos e dominar as próprias imperfeições, o que exige ação, seriedade, esforço, dedicação e disciplina. É o exercício constante das potencialidades pessoais, visando alargar as próprias fronteiras.    

 A EVOLUÇÃO DA CONSCIÊNCIA EXIGE AÇÃO  

 

Semeie um pensamento e colha uma ação; semeie uma ação e colha um hábito;  
semeie um hábito e colha um caráter; semeie um caráter e colha um destino. 
 

 

  A AÇÃO HUMANA, como sabemos, é geralmente motivada pela busca ativa de situações positivas (prazer e busca pela felicidade) e pela evitação de situações negativas (dor, sofrimento, humilhação, constrangimento etc.).Tomar uma decisão não é considerado como uma ação, só será uma ação se essa decisão for concretizada. Tentar fazer algo sem o conseguir também não é considerado uma ação, uma vez que a intenção não foi realizada. A omissão intencional (a decisão consciente de não fazer nada), apesar de passível de ter consequências graves perante as Leis Cósmicas, não é considerada uma ação. 

  Motivação é o impulso interno que leva à ação.Os conceitos motivação, esforço e ação são indissociáveis, no entanto não são sinônimos. A motivação é a capacidade de comprometer-se com um objetivo a que se dá valor e persistir nesse comprometimento, mesmo em face de obstáculos. 

  A motivação envolve um conjunto de fatores psicológicos, tais como empenho e persistência. É preciso ter muita motivação própria (automotivação) para ter um negócio de sucesso, por exemplo. É preciso acordar todo dia com vontade de encarar os desafios que virão. Encarar um novo dia como uma nova oportunidade. A automotivação é um atributo catalisador da vontade inquebrantável 

 

A motivação é também a capacidade de apreciar o esforço e o empenho em dada
atividade ou empreendimento. Isso implica que o esforço deve ser prazeroso. O que explica
serem o esforço e a motivação, conjuntamente, a chave para o aprendizado na Escola da
Vida
, assim como para as realizações criativas e até mesmo para o gênio criativo.

  

  A ação designa um comportamento realizado de maneira voluntária, deliberada ou intencional. Uma ação diferencia-se assim das formas de comportamento involuntário como os reflexos, se bem que essa diferença seja na prática menos clara do que na teoria. A ação, enquanto comportamento voluntário apresenta 4 características

 

1.            Processo de escolha e decisão - o indivíduo tem de escolher entre uma série de possibilidades aquela que ele quer realizar;

2.            Latência - uma vez feita a escolha, o indivíduo pode determinar o momento (imediatamente ou mais tarde) em que dará início à ação;

3.            Intensidade - uma vez iniciada, pode a ação ser realizada com diferente empenho, energia ou intensidade;

4.            Persistência - uma vez iniciada, uma ação pode chegar ao fim de duas maneiras: ou ela atinge seu objetivo ou o indivíduo desiste do desejo de realizar tal objetivo. 

 

A Escola da Vida não recompensa a intenção, ou a percepção ou a pura sabedoria.

O essencial é a AÇÃO cosmoética. A finalidade do conhecimento não é conhecer, mas

agir. Essa é a diferença entre os vencedores e perdedores dessa escola:

os vencedores fazem coisas que os outros não sabem ou não querem fazer.

  

  Os vencedores sabem discernir o que vale e o que não vale a pena se feito. Sabem compreender situações, de separar o certo do errado, o bem do mal, o bom do pernicioso; sabem priorizar o mais correto e eficiente; sabem distinguir o prioritário do secundário; sabem distinguir o essencial do fundamental.   

  Essencial é tudo aquilo que você não pode deixar de ter para a execução satisfatória dos seus objetivos magnos, tais como: amizades sadias, sexualidade exuberante, lealdade, solidariedade, liberdade plena, saúde integral, independência financeira, informação relevante etc. Fundamental é tudo aquilo que lhe ajuda a chegar ao essencial: trabalho digno, salário compatível, boa alimentação, tranquilidade etc. 

  Assim, é fácil concluir que a ação é antítese de apatia, indiferença e acomodação. Grande parte da população do Paraíso Tropical não consegue desenvolver suas próprias opiniões. São vítimas da preguiça mental (passividade), da confusão de ideias ou de diversos tipos de lavagem cerebral. Constituem uma enorme multidão de pessoas passivas, acomodadas e desanimadas, que são escravas das opiniões dos outros, não pensam por si mesmas e vivem como robôs (mortos vivos). Fazem parte da massa humana impensante (MHI). 

  A passividade (que não deve ser confundida com pacifismo) é o hábito de aceitar, sem maiores questionamentos, costumes convencionados no contexto social, limitando-se a reproduzi-los, sem qualquer reflexão. É sinônimo de apatia e indiferença. O indivíduo passivo observa o mundo como se estivesse atrás de uma tela de televisão, incorporando a postura de espectador da própria vida. É a partir dessa apatia, em relação aos acontecimentos políticos, econômicos e sociais, que são feitas as lavagens cerebrais pelos interessados em manter o status quo.

 

 A EVOLUÇÃO DA CONSCIÊNCIA EXIGE AUTOSSUPERAÇÃO  

 Qualquer destino, por mais longo e complicado que seja, vale apenas por um único
momento: aquele em que a pessoa compreende de uma vez por todas quem ela é
.
 

 

  O destino é uma questão de escolha. Não é algo para se ficar esperando, é algo a ser conquistado. Na Escola da Vida, ou você tem uma estratégia própria ou é parte da estratégia de alguém. O futuro é construído pelas nossas decisões diárias, inconstantes e mutáveis, e cada evento influencia todos os outros. É nos momentos de decisão que nosso destino é traçado.  

  Traçar o nosso destino significa AUTOSSUPERAÇÃO, é lutar contra a acomodação, o conformismo, a passividade, a neofobia, a inércia e o conformismo. Esses são os grandes inimigos a serem vencidos e não as circunstâncias ou as pessoas. A autossuperação exige esforço, perseverança, desempenho individual, criatividade e CORAGEM para se evitar a protelação das decisões.  

  Na Escola da Vida, nós nos deparamos com o que merecemos e o que precisamos para evoluir. Nada acontece, por acaso. A vida no universo tem engrenagem própria, da qual participamos. Cada decisão tomada, utilizando nosso LIVRE-ARBÍTRIO, provoca uma reação em cadeia e tudo se interliga. Cada ser humano é seu próprio criador, sujeito às inexoráveis Leis Cósmicas (ou Leis do Universo). Vimos que a evolução da consciencial é um processo natural a TODAS as consciências do universo e significa vencer a si mesmo, dominar as próprias imperfeições.  

  Para isso, a pessoa busca compreender as causas matrizes do que lhe sucede, assumindo, aceitando e reparando as consequências de seus atos imaturos cometidos ao longo da existência. Os instrumentos que empregamos nessa obra de autodescobrimento é o poder da nossa vontade consciente e o livre-arbítrio. 

  Um indivíduo decidido com a firme disposição de seguir um planejamento existencial é imbatível. Einstein costumava enfatizar para seus alunos que só existe um poder maior do que a energia atômica: a VONTADE DECIDIDA! 

    Sem ela não vamos a lugar algum; ficamos estáticos, presos no círculo do conformismo, do comodismo e da mediocridade, ou somos levados pela correnteza dos acontecimentos diários. Em qualquer consciência, é possível identificar 2 tipos de vontade: 

 

  O 1º tipo é a vontade forte, decidida ou inquebrantável. Esse tipo anula os efeitos de todo tipo de adversidade. As vicissitudes e dificuldades na Escola da Vida existem (a) para tornar os fortes de vontade mais fortes ou (b) para fazer os doentes da vontade se sentirem obrigados a empregar os próprios poderes, talentos ou potenciais cosmoeticamente. A automotivação é catalisadora da vontade inquebrantável. 

  O 2º tipo é a vontade fraca ou frouxa. Com esse tipo de vontade, a tendência é protelar as decisões. A responsabilidade de qualquer decisão que diz respeito à nossa vida e à nossa evolução consciencial (ou evolução da nossa consciência) é sempre nossa e intransferível, por mais que queiramos transferir as dificuldades ou resultados de nossas decisões e omissões (aquilo que decidimos não fazer).

 

  Se a sua vontade for fraca, leitor/leitora, o seu pensamento ficará à deriva como barco sem leme no oceano de energia em que vivemos, e outras pessoas (gurus, líderes religiosos, políticos, familiares, aproveitadores) assumirão o controle de sua vida, pensando por você. Você então fará parte da Massa Humana Impensante.  

  Atenção: para mais detalhes sobre o rebanho impensante leia o artigo “Massa Humana Impensante” em Tópicos Recentes no link  http://salvesequemsouber.com.br  

  O LIVRE-ARBÍTRIO é o instrumento magno para desenvolver a capacidade seletiva da consciência na adoção de novas escolhas. Cumpre o seu objetivo somente quando aplicado às mudanças e decisões pessoais. Somos livres para mudar a nós mesmos, seja onde for, como for, apesar do que for.  

  Todavia, a falta de CORAGEM faz com que grande parte da população prefira declinar do uso do LIVRE-ARBÍTRIO, deixando as importantes decisões de suas vidas a outros, vivendo na dependência psicológica de todos os tipos e de todas as formas, tornando-se vítimas da própria pusilanimidade, isto é,da fraqueza de ânimo, da falta de energia, de firmeza, de decisão. 

  A utilização da coragem é essencial para a execução satisfatória de nossa missão ou plano de vida. A consciência que se utiliza da coragem evolutiva não tem MEDO de arriscar e de errar porque transforma toda experiência em aprendizado e assim reforça a autoconfiança. Vale lembrar que o covarde se inclui entre as pessoas mais doentes na vida humana. 

  Coragem é resistência ao medo, domínio do medo, e não ausência do medo. Embora o medo seja um mecanismo de aprendizagem e também um mecanismo evolutivo de sobrevivência da espécie, e do indivíduo particularmente, o medo das mudanças faz com que tentemos reprimir importantes conhecimentos.  

  CONTUDO AS COISAS SEMPRE MUDAM! Se as coisas não mudassem, nada aconteceria em nossas vidas. A mudança é o que nos leva de um lugar a outro, tanto no plano físico, como emocional. Ela é essencial para a própria existência. Por isso é que o medo das mudanças é um dos inimigos ocultos da evolução consciencial.  

  O medo, um inimigo da arte de viver, é carência de informação. Quando a informação entra pela porta, o medo sai pela janela. Daí a regra — SALVE-SE QUEM SOUBER — obrigatória tanto para sobreviver dignamente como para viver relativamente bem (sem repressões, carências e medos) neste planeta escola-hospital, onde preponderam a ignorância e o egoísmo, os dois piores inimigos do ser humano.  

  A pusilanimidade e o medo das pessoas são os motivos pelos quais as religiões ditas cristãs usam os termos pastores e ovelhas para designar seus líderes e liderados, respectivamente. Essa metáfora representa claramente a relação de dependência estabelecida entre fiéis passivos e medrosos e os religiosos arrivistas lavadores de cérebros. A ovelha é animal dócil, obediente, medroso, facilmente conduzido e extremamente vulnerável à ação de lobos e predadores, quando a proteção do pastor é inexistente. 

  A expressão rebanho de ovelhas indica a condição do aglomerado de pessoas, parte da massa humana impensante, que sofreram lavagem cerebral, são incapazes de manifestar vontade ou iniciativa própria, são submissos e mentalmente indolentes, dependente dos líderes religiosos para orientar suas vidas. As ovelhas possuem em comum a renúncia à própria autonomia e a transferência da própria responsabilidade para a divindade, Jesus, ou o próprio padre, rabino, pastor e guru. 

  Essa condição de dependência e ausência de autorresponsabilidade das “ovelhas” — associada ao marketing aplicado pelas igrejas e aos dotes retóricos do pregador-pastor — é a ideal para se extorquir dinheiro e outras vantagens dos fiéis. Essa extorsão é eufemisticamente denominada pelos “lobos predadores” de “dízimo”.   

 

CONCLUSÃO FINAL

  

Fiz de mim o que não soube, e o que podia fazer de mim não o fiz.

  

  Lembre-se sempre leitor/leitora que a evolução da consciência exige ação e autossuperação e que na Escola da Vida ou você tem uma estratégia de vida própria ou é parte da estratégia de alguém. Ou você agirá sob a influência dos instintos, sem refletir e raciocinar, como os animais subumanos. Nós não evoluímos com o conformismo,o comodismo, a inércia, a mediocridade nem com o escapismo. O que nos resta? O TRANSFORMISMO! 

  Todos nós evoluímos ao nos autoconhecermos e nos desvencilharmos do que foi retrógrado, equivocado e estagnador. À medida que a evolução consciencial se acentua, as qualidades recém-conquistadas são cada vez mais fixadas na memória integral da consciência, um "reservatório cósmico", onde a memória de todos os fatos vividos é armazenada (o mentalsoma), até provocarem a completa anulação dos pontos falhos ou pontos fracos que se tornaram obsoletas e inúteis ao novo aprendizado. 

  É assim que nossas atitudes cotidianas representam indicadores que agem tal qual um conscienciômetro, um medidor preciso de nosso desempenho evolutivo. Cada êxito evolutivo (a superação de cada etapa) tem o seu preço em um percentual de esforço, perseverança, dedicação e comprometimento individual. É por isso que na vida de um indivíduo, a calmaria ou tranquilidade excessiva pode ser um sinal representativo de subaproveitamento dos talentos que possui, porque o processo evolutivo está sempre gerando as crises de crescimento, naturais devido à identificação e superação das imaturidades pessoais.  

  Há um número incontável de pessoas inteligentes reprisando experiências existenciais sem parar. Mesmo quando se exibe grande habilidade no desempenho de uma tarefa, limitar-se a fazer dia após dia, ano após ano, apenas as atividades que domina pode ser o caminho mais fácil, mas nem sempre é o melhor em qualidade para o autodesenvolvimento. Agir assim é sinônimo de mediocridade, de subnívelamento (isto é, viver aquém do seu potencial). 

  O subnível evolutivo é alimentado pela falta de autoconhecimento, assim como a passividade diante dos próprios talentos e necessidades. Algumas das sensações que a pessoa está vivendo abaixo de seu nível evolutivo (aquém do seu potencial) são: melancolia, angústia, insatisfação consigo, depressão, sensação de vazio, de falta de algo, de estar vendo a vida passar sem nada realizar de produtivo.  

  Em uma análise mais sutil, o sintoma aparece quando, mesmo estando ocupado, produzindo, tem-se a sensação íntima de poder fazer mais e melhor. É fato que o subnível evolutivo segue a lei da menor resistência e do menor esforço — tendência comodista a exercer qualquer atividade da maneira mais fácil e/ou rápida, sem atender à qualidade do resultado final.  

  Você leitor/ leitora gostaria de conhecer seus defeitos de personalidade evidenciados por meio de fissuras, carências, inabilidades, limitações, MEDOS, temores, traumas, vícios, maus hábitos, condicionamentos e recalques que estão lhe impedindo a realização dos seus sonhos? 

 Faça esta avaliação gratuita e descubra suas chances de sucesso ou fracasso em sua vida pessoal e profissional. Acesse AGORA mesmo   https://www.salvesequemsouber.com.br 

   MENSAGEM FINAL: Esse texto faz parte da contribuição de Dan Herman em prol do esclarecimento da Geração Muda Brasil. Aprovamos e publicamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões de modo construtivo. Se você gostou desse artigo indique-o para outros de sua estima


    Dan Herman, o inconfundível e autor do revolucionário “De Paraíso Tropical a Inferno Latino americano” é estudante e praticante da seguinte sabedoria:  

 

Nunca permita que alguém corte suas asas, estreite seus horizontes e tire as estrelas do teu céu.

Nunca deixe seus medos serem maiores que a tua vontade de voar.
O valor da vida está nos sonhos que lutamos para conquistar. (Autor desconhecido). 

 

   As lições desse guia de alta-ajuda cobrem a área pessoal como profissional e são simples o suficiente para qualquer um de nós escolarizado compreendê-lo e ser capaz de enriquecer nossas vidas ao mesmo tempo. Para mais detalhes acesse agora www.salvesequemsouber.com.br